Comunidade Portuguesa de fãs de Animes
 
InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
tomatrix

 





Masculino Mensagens : 70
Fama : 144
Data de inscrição : 26/07/2011

MensagemAssunto: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Seg Ago 29, 2011 6:57 pm

~eis uns textos meus. Os primeiros que vou postar são de um trabalho que fiz sobre "O Auto da barca do Inferno", onde tive de fazer uma composição sobre um sonho no paraiso e outro no inferno.
Bom, vou começar com o do Inferno:

Citação :
O Inferno sonhado
Uma vez adormeci sentado na cadeira da minha secretaria à noite devido a ter feito uma pesquisa para um trabalho de Português sobre o Inferno e o “Auto da Barca do Inferno” e quando acordei, eu tinha acordado no chão. Levanto-me e reparo que estava noutro local. O céu deste local estava vermelho cor de sangue e estava cheio de nuvens negras que mais pareciam fumaça e o céu estava cheio de trovoada. O ar tinha um cheiro estranho, parecia o de um incêndio misturado com cadáveres em decomposição, dando-me vontade e vomitar.
Tenho atenção ao terreno em que ando e reparo que o chão era feito de alguma massa queimada. Do chão podiam-se ver géisers de onde saiam chamas em vez de vapor e algo me assustou: braços humanos. Um deles agarrou-me e eu em pânico tento fugir e consigo. Compreendi logo que o chão era feito de carne humana.
Com o medo, tento fugir até chegar a uma espécie de árvore feita de ossos. Vários corvos negros com bicos e garras de ferro enferrujado e somente um olho no meio da testa estavam a comer algo. Os corvos voam para fora da árvore mostrando-me uma revelação horrenda: eles estavam a comer uma pessoa que estava presa aos ramos da árvore cheios de espinhos e garras. O sangue que se escorria da árvore até ao chão era bebido por bocas que apareciam no chão, fazendo parecer que para esta “Terra” o sangue era o mesmo que a água no nosso mundo. O pior foi que o suposto cadáver começa a regenerar-se, tendo á sua volta, os corvos banhados em sangue, voando em círculos, preparando-se para voltar a comer o pobre individuo.
Lembrei-me do mito de Prometeu e da sua eterna tortura. Com o horror, eu chego a um rio vermelho que cheirava a sangue até que chega um homem num barco que ofereceu para dar-me boleia. Eu aceitei, mas quando chego a um nível maior no rio, vou a perguntar ao indivíduo que estava encapuçado onde íamos. Em desespero puxo o seu capuz e nele vi algo horrível: a cara do homem era metade caveira queimada e outra metade, cara com carne queimada. Os seus cabelos eram cobras que saíam do crânio. Como choque eu desequilibrei-me e acabo por cair no rio de sangue. Algo estava mal, eu sentia que a água, me puxava a ela, então eu reparei que o rio estava cheio de espíritos que me puxavam. Eu estava horrorizado, tentava fugir, gritando desesperadamente por socorro, mas era em vão. Por baixo de água, ou sangue, sentia o meu corpo a queimar e, ao mesmo tempo, sentia a minha espinha a gelar.
Milagrosamente acordo na minha secretária a transpirar e a respirar ofegantemente. Eu tinha tido um pesadelo infernal.


E o segundo, o do paraiso:

Citação :
A minha visão do paraíso num sonho
Lembro-me de uma vez ter adormecido no sofá grande na minha sala, após ver uns filmes no meu estado cansado. Fecho os meus olhos e depois abro-os numa floresta, onde eu estava a dormir à sombra de uma árvore. Eu levanto-me e observo espaço à minha volta, onde parecia estar num bosque, com colinas, umas montanhas no Norte, vários animais viviam em paz e o clima neste local nem era frio nem quente, era ameno. Senti-me confortável com este clima.
Apesar do céu azul, não existiam nuvens, em vez disso podiam-se ver as estrelas, mesmo de dia. O céu estava decorado por constelações.
Tiro uma maçã de uma macieira, e como magia, nascia logo uma nova. Fiquei com a impressão de não existir fome neste local.
Encontrei pessoas num estado tranquilo e pacífico, algumas dedicadas à música e à arte, outras que demonstravam mutuamente amor e amizade.
O próprio vento fazia um roído agradável: parecia que cantava uma canção suave e pacífica. Eu continuava a passear pela floresta, indo em direcção a uma colina rochosa até começar a ouvir uma voz. Parecia ma bela voz humana a cantar. Eu fiquei atraído pela voz até chegar a uma enorme rocha onde estava sentada a cantar: uma bela mulher com uma pele branca como a neve, cabelo dourado, olhos azuis como safiras, vestida de uma túnica branca semelhante às utilizadas por mulheres no tempo dos gregos antigos, descalça e tinha um longo fio prateado a prender o seu cabelo. Ela não tinha reparado na minha presença e eu fiquei escondido atrás de um pinheiro a ouvir a sua bela voz, até que piso nalguma coisa que fez com que revela-se onde estava. A jovem parou de cantar num estado alarmado e do nada apareceu nela algo que me surpreendeu: nasceram-lhe asas. As asas dela eram brancas e reflectiam a luz do sol.
Eu fiquei surpreso, estava a ver á minha frente um anjo de carne e osso. Ela levanta voo, deixando pelo ar penas brancas que flutuam pelo ar como se fossem folhas a cair no céu. Eu segui o rasto da plumagem branca que reluzia a luz do sol como se fosse um diamante.
Cheguei a passar por um vale onde se viam árvores com flores de cerejeira. As flores lançavam as suas pétalas pelo vento. Continuo a perseguir o rasto de plumas até chegar a um rio.
A água era tão transparente e tão suave que podia-se ver o reflexo das estrelas e do sol ao mesmo tempo que se via a fauna marítima a nadar pelas estrelas, através do reflexo.
Chego a achar uma pena branca no rio, seguidamente vou a tentar apanha-la numa maneira que não caia á agua até que reparo que atrás do meu reflexo estavam um par de asas e vou a tentar virar-me até que alguém me empurra para dentro de água. Eu viro-me para ver quem me empurrou e vejo ela com umas gargalhadas inocentes. Eu levanto-me e num acto súbito tento apanha-la, mas ela levanta mais uma vez voo. Ela desfaz-se das suas asas, para me dar uma hipótese. Então ela começa a correr e eu persegui ela, mas o mais engraçado era que não era para vingar-me, eu queria apanha-la como se fosse por diversão. Nós corríamos no que parecia ser um jogo da apanhada ao pé de um monte de árvores até que me perdi. Não sabia mais onde ela estava, até que umas mãos taparam-me os olhos e eu agarrei nelas para virar-me e reparar que era ela. Ela sorriu para mim e eu respondi com um sorriso meu. Ela volta a erguer as suas asas e dá-me a sua mão. Eu agarrei nela e algo aconteceu nas minhas costas: nasceram-me asas também.
Nós levantamos voo juntos pelo céu fora. Vi como esta região era bela, revi o vale com flores de cerejeira que tinham lá um casal de veados com uma cria, parecendo um vale Japonês medieval; passamos pela floresta , vimos colinas, chegamos a ver uma costa que parecia uma praia. Chegamos até a passar por uma montanha cheia de neve, parecendo os Alpes, sem nenhuma tempestade de neve, em vez disso, víamos a nevar em calma e serenidade. No céu podíamos ver a aurora boreal, apesar de não estarmos no pólo Norte. Cada vez mais compreendi onde estava, estava no Paraíso, mas não é nenhum paraíso qualquer, este mundo era nada mais, nada menos que o Eden que a minha avó me falou ao contar histórias da bíblia. Nunca pensei que fosse tão belo. Com tanta confusão na minha vida, eu tinha achado paz e amor neste mundo. A mulher anjo que me guiava, sorria a corar e acaba por agarrar na minha cara com a sua mão direita e vira-se para mim no ar. Parecia que sentia o mesmo. Os nossos lábios iam se juntando naquele ar sereno. A minha boca lentamente chegava ao pé da dela, lentamente, lentamente, até que algo inesperado acontece, as minhas asas desaparecem e eu acabo por cair em terra.
Eu abro os olhos e reparo que estou em casa, deitado no chão da minha sala, agarrado á cabeça que me doía devido ao impacto da queda. Eu sentia-me triste ao saber que a minha aventura era um sonho e que tudo o que lá achei era uma ilusão. Ao mesmo tempo eu perguntei-me a mim mesmo. Será que quando o meu tempo na Terra acabar, irei voltar para lá, mas desta vez de verdade?


E bem, eis aqui os dois textos. Eu os meti na barra de citar para os separar. Ambos tentei em contrate um do outro, criar como o oposto do paraiso e do Inferno, descrevendo um sonho num, e o pesadelo noutro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FreezinG

 





Masculino Mensagens : 59
Fama : 79
Data de inscrição : 17/07/2011
Localização : Viseu

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Ter Ago 30, 2011 12:22 am

São interessantes, tem sentido e consegues descrever muito bem os ambientes que referiste.

Tanto que quando chegou ou fim até fiquei a pensar já acabou?

Muito bom Very Happy

(não sei se é bem é a área certa para isto, mas escrever é uma arte suponho eu)

----------------------------------------------------------------------------
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
tomatrix

 





Masculino Mensagens : 70
Fama : 144
Data de inscrição : 26/07/2011

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Qua Ago 31, 2011 1:14 pm

Bom, eis dois poemas que tinha postado noutro forum:

Eis o primeiro:
Spoiler:
 

E eis o segundo:

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ryck

 





Mensagens : 55
Fama : 58
Data de inscrição : 08/08/2011
Localização : Brasilllll

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Qua Ago 31, 2011 9:23 pm

Nossa tomatrix, você tem muito talento com as palavras, parabens =D
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
tomatrix

 





Masculino Mensagens : 70
Fama : 144
Data de inscrição : 26/07/2011

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Qui Set 01, 2011 1:59 pm

Este é um poema baseado numa aula de Culturas norte-americanas contemporaneas sobre a Beat Generation. Inspirei-me no poema America. Enquanto leem, peço-vos que oiçam a musica do videdo do Youtube já que estou a emular essa geração da decada de 50 juntando beats de Jazz com poesia:

Spoiler:
 

Portugal

Portugal, o que aconteceu contigo?
Dantes eras a glória e agora és a desgraça
Quem te conheceu antes e quem te conheceu agora
Não admira que haja quem queira ir embora.


Antes tinhas tudo
Agora tens nada
O que aconteceu Portugal?
Porque é que estás á rasca?
Será o teu coração ou será o teu sangue
Qual é o mal que necessita de uma valente descasca?

Dom Sebastião já se foi á anos
António Salazar já se foi á décadas
E agora, José Socrates á dias
Qual é o messias que tu esperas
Se é que ainda acreditas em tal balela

Porque é que entras em greve?
Será que isso ajudou nalguma coisa?
Porque é que paras na desgraça
Quando devias estar a levantar-te?

Porque é que chamas os mesmos demónios do passado
E não apostas nos santos do futuro?
Tu que foste o primeiro a ir ao mar
Porque é que tens de ser o ultimo a explorar as estrelas?

O que é feito dos teus heróis Portugal?
Será que estão tão destinados a ser relíquias
Em vez de chaves para a porta
Dos navegadores do futuro?

Se este é um pesadelo Portugal
Então faz-nos um favor
Acorda!!!
Pois esta piada tem um péssimo humor
E necessitamos que recuperes o teu moral.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FreezinG

 





Masculino Mensagens : 59
Fama : 79
Data de inscrição : 17/07/2011
Localização : Viseu

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Sex Set 02, 2011 10:31 pm

pois Portugal porquê?

Poesia é algo que me passa ao lado xD

Tanto para escrever como apreciar.

Mas penso que é boa ou será que não?

Continua Very Happy

----------------------------------------------------------------------------
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
tomatrix

 





Masculino Mensagens : 70
Fama : 144
Data de inscrição : 26/07/2011

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Sab Set 03, 2011 4:12 pm

Boas pessoal. Eu vou postar um texto que tinha escrito para um trabalho de Ingles que consistia em escrever uma história para adolescentes. Eis a short:

Citação :
The Genesic Calibur.

In the times of myth and legend, there existed a legendary sword hidden in the High Mountains of Diamond Hill in the Northern Lights country. Legends said that God used this sword when creating the Universe by cutting it to form what we call galaxies.

Knowing that one day a great darkness would rise, God sealed the sword at Diamond Hill so that one day, a brave and pure hearted hero would save all existence.

Knowing this legend, Young Seth Strife searched for the legendary sword. He climbed the highest Mountain of Diamond Hill for days, finally reaching the top.

Sixteen years old Seth was exhausted. He had his hands full of scratches do to the climbing, and, he felt his mind and his body numbed do to the air density of the Mountain. He was wearing a long gray cape, with a cloak that covered his face. He removed the cloak, reviling his brown hair that was covered in sweat do to the long effort of climbing. He had bandages in his forehead, arms and torso, showing that he suffered from past injuries.

Even exhausted, his brown eyes could see the wanted prize. He contemplated a long sword, similar to a Scottish Claymore, with a golden hilt, covered with some source of emerald strings. The sword was locked by a variety of silver chains. Seth breathing a sigh of relief said “The Genesic Calibur. Finally I found it.”

With his remaining strength, Seth reached the sword, but as soon he touched it he heard a mix of a gentle feminine voice with an aggressive male voice, that screamed “Who dares to robe the Genesic Calibur?!”

The sword got covered in a circular force circular force field of golden light that surprised Seth. The energy field enlarged and projected Seth to the ground. The enormous stream of light gained a human form. This light man started to speak with two voices at the same time “I´m the guardian of the Genesic Calibur. Those who desire the Genesic Calibur´s power for selfish reasons may live no more!”

Seth slowly got to his feet. With a tired full and painful look on his face, he faced the Guardian of the sword when he said “I climbed the Mountain for days for that sword! I won´t give up off it that easy!”

“Go home boy while you can!” Screamed the golden being of light with It´s double voice. He pointed his right hand at Seth and pushed him with an invisible energy similar to telekinesis. Do to his fatigue and the strong psychic force of the Guardian, Seth was almost pushed out off the Mountain. With a great effort and willpower, he didn´t fell out off the Mountain.
“Go home boy!” said once again the Guardian. “If you continue to struggle more, you will jump off the Mountain and die!”

“No!” Screamed Seth with all the courage and determination in his heart. “I came here for that sword and I won´t leave this mountain without it!”

“And so, you shall die!” Screamed the Guardian furiously. He used once again his telekinetic burst, attacking more, and more, destroying Seth´s grey cape. The young man was bleeding and felt his ribs getting broken and bones snapping.
Surprised by Seth´s willpower, the Guardian asked him, “Why do you still struggle boy aren’t you afraid of death?”

Seth with a smirk on his bloody face, answered “I´m afraid of losing another person´s life. If I give up on the sword, I will not save her ...”

Shaking with fear and anxiety, at the mean time, covered in tears, Seth screamed “If I can´t acquire the Genesic calibur, Caska will die!”

The Guardian looked at Seth with surprise. Wanting to kill his curiosity, the Guardian asked Seth “Who is this Caska?”

“Caska is a very important person to me.” Said Seth. “When I lost my family, I´ve become a lone wolf with nothing no one that cared about me. I used to be a street fighter and once, when I was bloody and beaten, I roamed alone, without someone that could take care of me and my injuries, but then, like an angel from heaven, she appeared and took care of me! Since that day, we became very close and I vowed to protect her, but then ..”

Seth´s voice got full of anger when he continued with his story “Since Caska is a person with a divine heritage, the wizard Akutai, known for having demonic powers, attacked our village, killing everyone that opposed his search for Caska, who´s sacrifice permitted him to call the great Devil. I fought him but I lost, and I ended up full um injuries. Before I could take the final blow, to save my life, Caska offered her life for my life. The wizard took her to his castle, where in the next full moon night, he will perform the sacrificial ritual. Before the evasion, Caska told me about the Genesic Calibur, giving me the hope to save her before the sacrificial day! If it was needed, I would reclaim that sword from hell! I won´t give up or die until Caska is rescued!”

The Guardian opened his mouth with surprise and then, he bursted in laughter. Surprised, Seth asked him “What´s so funny?”

“Everyone that desired the Genesic Calibur always wants it for glory and conquest, but this is the first time someone came here for something like love.” The Guardian answered. Set screamed “Do you think my objectives and my resolve are a joke?”

“No, sorry.” Said the Guardian. “If your purpose is unselfish, you may grab the sword.”

“What?” Said a surprised Seth. The Guardian disappeared and the silver chains evaporate. Seth grabbed the swords hilt and got covered by a multi colourful aura. He felt an incredible strength entering his body.

“My God!” Said Seth, astonished by the energy in his body. “I feel that I could lift mountains and move faster than a shooting star!”

Not only was he stronger, but his injuries disappeared. He searched a giant rock and with a strong blow of the sword, he cut it in two.

“I´ve done it!” he said with joy. “Wait for me Caska!”
Seth listens to the Guardians voice in his mind, saying “Focus on the place you want to go and the sword may cut reality, opening a door to where you want to go.”

Seth did it and created a wormhole that would take him to Caska and Akutai.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
FreezinG

 





Masculino Mensagens : 59
Fama : 79
Data de inscrição : 17/07/2011
Localização : Viseu

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Ter Set 06, 2011 6:36 pm

Novamente gosto da tua forma de escrever.

Fizeste-me ir pesquisar o que era uma "Scottish Claymore" que não sabia...

@Off-Topic:
Mas quando usares a citação não uses esse azul Very Happy

Selecciona o texto e mete uma cor mais escura isso faz mal aos olhos.

----------------------------------------------------------------------------
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
tomatrix

 





Masculino Mensagens : 70
Fama : 144
Data de inscrição : 26/07/2011

MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Ter Set 06, 2011 8:47 pm

Bom, este é um segundo trabalho escrito numa lingua estrangeira, desta vez de espanhol. Quanto á escrita, admito estar cheia de gaffes já que ainda estou no primeiro ano de Espanhol XD. Alem de ser um dos primeiros textos que escrevi em espanhol, esta foi a primeira short story de ficção cientifica que eu escrevi:

El súper soldado del futuro.

En el ano 25XX , la humanidad ha hecho grandes descubrimientos científicos. Con la descubierta de la manipulación de partículas globales, no solo los han reparado el ambiente del planeta como descubrieran como desenvolver la atmosfera y el agua en otros planetas, iniciando un proceso de terraformacion.

Después de la terraformacion y creación de la flora de varios planetas y lunas del sistema solar, la humanidad ha enviado diferentes tipos de animales, y algunos clones de animales en peligro de extinción para, no solo se emigrasen en los otros planetas como también para crear un nuevo hábitat, y, después de reproducir, desenvolver la fauna. Años más tarde, para acabar con la populación en demasía en el planeta Tierra, los gobiernos del mundo han comenzado con el proceso de colegialización, comenzando por la creación de la colonia de Marte. Años después, con la ayuda de nuevos transportes espaciales creados a pedido de la ONU, los otros planetas y sus respectivas lunas han desenrollado sus respectivas populaciones.

Júpiter, en especial por ser el planeta más grande del sistema solar, y por tener una gravedad mayor que la de la tierra, se ha tornado el planeta donde los soldados de la ONU son trenados, adquirido una fuerza física superior que la que podrían adquirir en la Tierra. Venus, en homenaje a la diosa que el planeta partilla su nombre, ha ganando una bella arquitectura, se ha tornado una de las mayores estancias de vacaciones, y, sus ciudades a la similitud de Paris y Venecia han ganado fama de ciudades románticas.

Aunque la humanidad ha creado estos nuevos mundos, algunos colonos han se rebelaron contra la Tierra, que adquiría las materias primas de los planetas colonizados, enriqueciendo la Tierra, que controlaba las colonias, de misma manera que las colonias en el ultramar en el tiempo de los descubrimientos, y, cuando los Estados unidos han sido una colonia Inglesa.

Nuestra historia comenzó en el espacio. Una pequeña nave viaja en dirección hasta un satélite que circula la tierra. Ese satélite es en realidad, una base espacial que sirvió de defensa para el planeta. La pequeña nave espacial, con la forma de una manta, posa por cima de la estación, furtivamente, permitiendo a una persona salir de la nave, para poderse invadir la estación.

Lo misterioso individuo, vestido con unas ropas de astronauta brancas, quita el fato para revelarse como un individuo del sexo masculino, vestido con una especie de trajes de espión azules, con uns cintos e unas malas que transportaban armas y equipamiento consigo, el tenia cabellos loros ya tenias sus ojos cubiertos por gafas de sol. En su oreja esquierda, el trajo un aparato de comunicación. El ha presionado ele aparato, diciendo “Exia contactando base central. Ya estoy dentro de la base phaeton 2.”

Una voz le ha respondido “Muy bien agente Exia, puedes comenzar con la fase dos de la misión.”

“Roger!” Se ha respondido Exia. En una sala misteriosa, dos individuos estaban a discutir la misión. El hombre que ha hablado con Exia ha dito “Esta es más un experimento para nuestro super soldado, Exia.”

“Exacto!” Responde una nueva voz que se ha revelado. “Me lembro cuando lo creamos quince anos en nuestro laboratorio. Ele tiene las capacidades físicas y psíquicas subdesenvolvidas, para no olvidar los otros genes que le hemos adicionado cuando ele era un bebe probeta.”

“Dando le el genome de diferentes creaturas, le ha regalado una visión nocturna y un sonar que lo permite detectar mejor sus oponentes. Con algunos genes de arboles y lagartos, ele tiene una regeneración avanzada, pudiendo recuperar sus miembros perdidos.” Ha hablado el otro hombre. “Aun mas, su cuerpo s alimenta de luz del sol porque su piel desenvolve la fotosíntesis, proporcionando le mas energía.”

“Juntando la corriente eléctrica de su cuerpo, creada a partir de anguilas eléctricas para darle más poder ofensivo, y combinando con su regeneración y la fotosíntesis, su cuerpo y su mente pueden superar limites humanos.” Se explico el otro hombre. “Aun más, ele aun está en evolución.”

Lo otro hombre, con un tono de voz preocupado, ha dijo “Si Exia fracasa esta misión, será un peligro para la revolución si el termine capturado.” Lo segundo hombre responde “Si, y es por eso que la lavaje cerebral echa en el lo a echo optar por lo suicido si necesario.”

Mientras que los dos hombres estaban a discutir sobre Exia, su soldado creado genéticamente ha terminado de poner bombas en la estación. Cuando el se poso la ultima bomba con un contador, Exia oyo una voz gritando “Quieto!”
Ele se volvió y ve dos hombres con armas de fuego. Un delos, sorprendido por verse ha Exia, ha dijo “Un niño?” El otro preguntó a Exia “Que haces aquí chico?!”

Los dos seguranzas reparan en la bomba presa en la pared y en un estado de alerta, han gritado “Es un terrorista!”

Rápidamente, Exia quito de su bolsillo dos objetos metálicos y después de presionar en unos botones, del objeto cilíndrico ha aparecido un trajo de luz, en cada una. Uno de los seguranzas, sorprendido, ha dijo “Unas laminas de plasma?”

Rápido como un trueno, Exia empalo sus dos oponentes. El arrumo las láminas y robó una de las armas de fuego. Uno de los seguranzas, antes de morir, presiona un botón activando el alarme.

Exia ha corrido como si no tuviera más tempo, enfrentando varios oponentes. Después de enfrentarse varios oponentes, su arma de fuego fue sin moniciones. ele las larga y quita unas facas que trajo consigo. Combinando su corriente eléctrica con las facas, Exia envió las facas eléctricas a sus oponentes.
Lo joven soldado le siguió haciendo su camino con la ayuda de sus laminas de plasmas, hasta llegar a las capsulas de fuga. El se escapo a tiempo, pero, cuando la estación se explota, la capsula ha sido atingida, haciendo con que la capsula sea proyectada violentamente hasta la Tierra.

En la Tierra, la capsula se ha caído en el mar. Con dificultades, Exia se escapa de la capsula destruida. Lleno de lesiones, Exia tenía su cuerpo extremamente herido, con heridas en su cabeza. Sus gafas han sido destruidas, rebelando sus ojos avellanos.

Unas personas que estaban en la playa y lo encuentran a salir del agua lo ayudaran. Un hombre le a dijo “Oye chico que se pasa? “ Exia ha conseguido responder “Donde estoy?”

Una mujer le ha respondido “En la playa fonte da Telha en Portugal.” Debido a sus dolores, Exia ha metido su mano derecha en la cabeza y preguntó a las personas “Quien soy yo?”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado





MensagemAssunto: Re: Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)   Hoje à(s) 12:10 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Textinhos do Tomatrix (texts 100 por cento meus)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 

 Tópicos similares

-
» Meus Fuscas
» Meus Kit´s - Adriano Faria / 3º parte
» Meus Kit´s - Adriano Faria
» Meus dioramas em escala 1:400 e 1:500
» Meus carros 1/64 tranformados em jardineiras militares 1/72.
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fórum Animes :: FÓRUM CRIATIVO :: Galeria de Arte-